quarta-feira, 29 de maio de 2019

As origens humildes do Cristianismo

Há outras questões embaraçosas sobre a origem humilde da fé cristã. Deming também trata sobre isso.
1.) Jesus foi um homem de pouca reputação.
Como um carpinteiro judeu da pequena cidade de Nazaré, Jesus teve desvantagens de natureza étnica, por causa da ocupação estrangeira e por causa da localização que danificaria severamente sua credibilidade.
2.) Jesus morreu uma morte infame.
A crucificação, "a mais miserável das mortes," foi o método de execução adotado pelos romanos para envergonhar intencionalmente a vítima. O açoite público, o levar a cruz pelas ruas e ser dependurado na cruz sem roupa não foram métodos para simplesmente maximizar a dor; eles foram planejados para destruir a credibilidade da vítima. Os primeiros críticos do Cristianismo tomaram vantagem desse fato e insultavam os cristãos como os adoradores de um "Deus que morreu em delírios… executado no auge da vida pela pior das mortes".
3.) Jesus pregou uma mensagem impopular.
O conceito de uma ressurreição física era implausível aos judeus e repugnante aos romanos. Os judeus esperavam que a ressurreição ocorresse no fim do mundo para todas as pessoas. Os romanos, que tinham pouco respeito ao corpo físico, preferiam muito a alma etérea, pois acreditavam que a ressurreição física era uma desgraça. Segundo Celso, os cadáveres "deveriam ser jogados fora como o pior do esterco" (DEMING, 2010). Está claro que o Cristianismo estaria fadado ao fracasso desde o início, caso não fosse uma história real. Contra todas as possibilidades, o Cristianismo surgiu, cresceu e se espalhou por todo o mundo, chegando até nós hoje.
By Walson Sales.

Nenhum comentário:

Postar um comentário