quinta-feira, 15 de outubro de 2020

DESCENDENTES DE ISMAEL OU DE ISAQUE? QUEM TEM O DIREITO DE REIVINDICAR A HERANÇA DA PROMESSA FEITA POR DEUS AO PATRIARCA ABRAÃO.


Tempos atrás li um texto de um blog onde o autor afirmava estar saturado de tantas publicações referentes aos confrontos entre árabes palestinos e judeus.  Ele terminou seu texto com a seguinte pergunta: Afinal de contas aquém pertence a terra prometida?  Preferi não comentar naquele momento, mas agora resolvi expressar minha opinião com base na Bíblia Sagrada.


Por diversas vezes li a Bíblia Sagrada, e ao fazer um estudo minucioso, descobri que a expressão “Deus de Israel” aparece por mais de 200 (duzentas) vezes na Bíblia Sagrada. Em diversas passagens bíblicas Ele (Deus) também aparece como sendo “O Deus de Abraão, Isaque e Jacó” (Ex 3.6,15-16, 4.5; Mt 22.32; Mc 12.26; Lc 20.37; At 7.32).  Folheei a Bíblia de canto a canto, livro por livro, capítulo por capítulo, versículo por versículo, palavra por palavra, e não é que eu descobri uma coisa interessante! Deus nunca é chamado na Bíblia de “o Deus de Ismael” ou “o Deus dos árabes.”  Em um dos versículos já citados acima Deus diz: “... O SENHOR, o Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó... é meu nome eternamente, e este é meu memorial de geração em geração.  Em lugar nenhum na bíblia Deus aparece fazendo um concerto perpetuo com Ismael e seus descendentes lhes garantindo como herança a terra prometida.


Não resta dúvida nenhuma que toda a terra de Canaã foi prometida por Deus a Abraão e a sua semente para sempre (Gn 12.7; 13.15; 17.19; Ex 6.8; Lv 25.23).  A pergunta que não quer calar é:  Quem pode reivindicar ser está “semente”? Os descendentes de “Ismael” ou os de “Isaque”?


O Islã ensina que o filho da “promessa” é Ismael e não Isaque.  Eles ensinam que quem quase foi sacrificado sobre o altar por Abraão foi Ismael, pois ele era o primogênito de Abraão.  A Bíblia desmente o ensino do Islã mostrando claramente que o filho que quase foi sacrificado por Abraão a pedido do próprio Deus não foi Ismael, mas Isaque (Gn 22.1-14).  Os árabes insistem em reivindicar sem flexibilidade alguma que eles os “árabes” e não os “judeus” são os legítimos herdeiros da promessa feita por Deus a Abraão acerca da terra prometida.

Não é preciso ser um especialista em Antigo Testamento para entender e perceber claramente que Ismael nunca foi nem de longe o filho da promessa.  Ele foi na verdade apenas um produto, ou melhor, um fruto gerado pela pressa e incredulidade de Sara e seu esposo Abraão, que a pedido de sua mulher, deitou-se com Hagar, escrava dela, sendo gerado assim “Ismael”.  A semente que herdaria a promessa não nasceria de Abraão com a escrava de Sara, mas de Abraão e Sara.


Está patente aos nossos olhos que a Bíblia é clara em afirmar de diversas maneiras que o filho da promessa era “Isaque” filho de (Abraão e Sara) e não “Ismael” filho de (Abraão e Hagar).  Isaque e seus descendentes segundo a Bíblia Sagrada são os legítimos herdeiros das promessas de Deus feitas a Abraão.  Antes do nascimento de Isaque, Abraão parecia estar satisfeito com Ismael (Gn 17.18), fruto do seu relacionamento com a serva de sua esposa Sara por nome Hagar.  Mas Deus logo lhe advertiu que lhe daria um filho através de sua esposa Sara, e seu nome seria Isaque e que ele seria o herdeiro de todas as promessas e também da terra (Gn 17.19-21).  O concerto de Deus seria firmado com “Isaque” e não com “Ismael”.


As escrituras Sagradas nos revelam que os verdadeiros herdeiros da promessa feita por Deus a Abraão, seriam levados para serem escravos e peregrinariam em uma terra estranha e lá seriam afligidos por aproximadamente 400 anos (Gn 15.13).  Alguém sabe me dizer se isso aconteceu com os árabes? É claro que não né! Mas aconteceu com os judeus.  A terra prometida pertence aos judeus por herança e não aos árabes palestinos.  O direito de reivindica-la por completo é dos Judeus.


By Nivaldo Gomes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário