segunda-feira, 9 de novembro de 2020

O Trabalhar de Deus na História e a Identidade do Messias


“Meu Pai trabalha até agora e eu trabalho também” João 5.17

 

Por Walson Sales

 

Deus tem trabalhado na história com riquezas de detalhes, tanto proféticos (anunciando antecipadamente o que deveria acontecer) quanto providenciais (agindo na história para que a Sua vontade soberana seja efetivada). A Bíblia é um livro profético por excelência. Werner Gitt, um cientista e biblicista alemão, menciona na palestra “A Bíblia em Xeque no Século 21” que existem cerce de 6.300 profecias na Bíblia, destas, segundo ele, cerca de 3.268 já se cumpriram. O que ele quer dizer com profecias cumpridas na história é que essas profecias “não passaram aí em algum recanto” ou que não são “eventos obscuros e cheios de dubiedades e de múltiplas interpretações”. Não. As profecias bíblicas fizeram parte da história da humanidade e abalaram as estruturas do mundo. Para você ter uma ideia, os especialistas em profecias bíblicas afirmam que se cumpriram cerca de 300 profecias apenas no primeiro advento do Messias, sim, exatamente no fato de Jesus ter nascido, vivido, pregado, realizado maravilhas, sinais e milagres, morrido na cruz e ressuscitado dos mortos. Você pode ver um apanhado dessas profecias no épico livro “Evidências que Exigem um Veredicto” do Josh McDowell (compre e leia este livro!). Já li especialistas afirmando que foram cerca de 380 profecias do primeiro advento. Contudo, outros especialistas se detém nas profecias que ainda não se cumpriram e coisas interessantes saltam diante dos nossos olhos. Por exemplo, o Pastor Jeziel Gomes cita um teólogo Francês chamado Rene Pachê no livro “O Rei Está Voltando” e mostra que este teólogo estudou as profecias da Parousia, as profecias da Segunda Vinda de Cristo e que descobriu que existem 1517 profecias do segundo advento, o que significa dizer que a Segunda vinda de Jesus é mais bem atestada profeticamente do que a primeira.

 

A questão da Identidade do Messias

 

Quando proferia o conhecido Sermão Profético em Mateus 24, Jesus mencionou um dos sinais fantásticos dos últimos dias, o surgimento de Falsos Cristos e Falsos Profetas. Mas não foi assim de forma tão suave, outros detalhes sobre esses personagens surgem no discurso de Jesus e nos deixam apreensivos:

 

Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos. Mateus 24:24.

 

O surgimento de falsos Cristos e Falsos Profetas é algo bem comum na trama humana, agora esses personagens terem a capacidade de realizar “tão grandes sinais e prodígios” que tem a capacidade de enganar até os escolhidos é assustador. Versos desse tipo nos alertam de forma bem séria a ficarmos atentos aos sinais e nunca nos afastarmos da Palavra de Deus que é a nossa luz, regra de fé, bússola e cajado, ou seja, qualquer ensinamento que ultrapasse o que a Bíblia diz deve ser rejeitado e qualquer sinal não deve ter autoridade em si mesmo se trouxer embutido um ensino que negue a Palavra de Deus.Em anos recentes apareceu um Guru indiano chamado SathyaSai Baba ensinando e ganhando adeptos no Ocidente, principalmente nos Estados Unidos e alguns relatos são assustadores sobre o que ele dizia e fazia. Por exemplo, ele esfregava as mãos e saia um pó branco que curava as pessoas, foi relatado certa vez que ele esteve em dois lugares ao mesmo tempo ensinando, foi relatado que ele desapareceu diante de um pesquisador, apareceu no alto de uma montanha, acenou e foi embora. São relatos assustadores. Você pode vê-lo ser citado por Champlin no verbete Milagres da sua famosa obra “Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia”. O mais assustador não é se ele conseguia fazer tudo isso mesmo ou não, talvez fossem truques bem planejados e bem executados, talvez tenham sido sinais operados pelo poder das trevas. O pior na minha opinião é que ele ficou famoso, arrastava multidões e dizia, segundo relatos: “Eu vim buscar e salvar o que se havia perdido”, exatamente o que Jesus disse em Lucas 19:10. Em 24 de Abril de 2011, Sai Baba faleceu em decorrência de problemas cardíacos aos 84 anos. Esse exemplo é peculiar por diversos motivos, contudo, o motivo principal é o fato dele se enquadrar no que Jesus disse no Sermão Profético sobre falsos Cristos e Falsos Profetas e de ter supostamente realizado grandes sinais. O grande problema nisso tudo é que existem credenciais proféticas do Messias (Cristo) que devem ser avaliadas cuidadosamente para se estabelecer se de fato aquela pessoa é quem ela firma ser. As credenciais são bem específicas e estão na palavra profética.

Jesus Cristo, eis o personagem. O nome e o título. Quando alguém diz: Jesus Cristo, entra automaticamente no âmbito da profecia messiânica. Dentro da cultura Judaico-Cristã, o Messias seria enviado de Deus para Israel e de Israel para o mundo inteiro. Dentro deste contexto profético, as credenciais do Messias bíblico saltam diante de nossos olhos de forma concreta e sem possibilidades para que impostores tentem se passar pelo Messias. Por exemplo, em Genesis 3:15 ele seria a Semente da Mulher. O cenário é bem simples, a profecia é uma alusão bem clara a concepção virginal e ao nascimento virginal. Esse personagem teria o calcanhar ferido e feriria a serpente na cabeça. Ali o próprio Deus fez um sacríficio de um animal para cobrir a nudez do casal (v. 21) e deixou a promessa de restauração bem viva para as gerações posteriores.

Em Genesis capítulo 12, Deus escolhe Abraão e faz um anúncio do evangelho a ele. O texto é bem vívido e emocionante:

 

Ora, o SENHOR disse a Abrão: Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção. E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra. Gênesis 12:1-3.

 

Algumas implicações estão contidas nesta chamada de Abraão. Primeiro, neste chamado Deus excluiu dois terços da população mundial quando escolheu Abraão. Quando Deus resolveu destruir a geração do Dilúvio em Genesis 6, Deus ordenou que Noé construisse uma arca e que preservasse os animais com ele conforme as instruções. Noé obedeceu e entrou na arca com sua família, sua esposa, filhos e esposas de seus filhos. A Bíblia diz que toda a carne pereceu. Quando eles saem da arca em Genesis 8, Deus repovoa a terra por meio dos três filhos de Noé, a saber, Sem, Cam e Jafé (9.1). em Genesis 10 encontramos o que os especialistas chamam de A Tabela das Nações, onde cada ser humano vivo hoje pode ser rastreado genealogicamente até lá e ser contado como descendente de um dos três filhos de Noé. Quando Deus escolheu Abraão, Deus escolheu a descendência de Sem e excuiu todo o resto, ou seja, Deus excluiu os descendentes de Cam, Jafé e todos os restantes que são os descendentes de Sem. A linhagem messiânica deveria ser logicamente de Adão, Noé, Sem e deveria passar pela semente de Abraão. Os critérios vão se afunilando. Veja por exemplo o mapa do Fértil Crescente para que você possa entender de onde Deus chamou Abraão:

 

Crescente Fértil é banhado por quais rios? [resumo]

 

É de conhecimento geral que Deus chamou Abraão enquanto este vivia com seus pais em Ur dos Caldeus (Gn 15.7; Gn 11.31; Ne 9.7; At 7.4). Note, ao observar o mapa, que Ur dos Caldeus era na “esquina” do Golfo Pérsico, ou seja, Abraão estava a cerca de 800 kilometros da Terra Santa, a Terra da Promessa. Algumas coisas podem ser ditas sobre isso, primeiro, perceba as multidões de pessoas que viviam nesses centros populosos como a própria Ur, Babilônia, Assíria, Síria, Padã-Harã, Egito e a própria terra dos Cananeus. Segundo, perceba a estratégia de Deus ao projetar o futuro, isto é, os descendentes de Abraão viveriam no que seria conhecido como A Encruzilhada das Nações (leia Ez 5.5). As três nações que viriam a ser potências mundiais num futuro bem próximo (Egito, Assíria e Babilônia) precisariam dominar a Encruzilhada das Nações (a terra de Israel) para poder conquistar e dominar o mundo conhecido de então. Sendo assim, todas as nações que circulariam por aquela região, receberiam (ou pelo menos deveriam) receber influência da Nação de Israel. Por ocasião da formação da Igreja, esta se utilizou bem desta característica geográfica para que a mensagem do evangelho pudesse ser espalhada aos quatro cantos do mundo conhecido de então.

Abraão teve dois filhos, Ismael e Isaque, o filho da escrava e o filho da livre. Isaque era o filho da promessa e Deus decidiu que a descendência messiânica seria formada por meio dele. Os leitores conhecem bem a história bíblica. Quando Deus pediu Isaque, o filho da promessa, em sacríficio, Deus não leva Ismael em consideração. Veja o relato bíblico por sí mesmo:

 

E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi. Gênesis 22:2

 

Fica claro que Deus tinha em mente apenas o filho da promessa, por quem fluiria a descendência, a nação e a promessa messiânica. A geógrafa bíblica Netta Kemp de Money no livro “Geografia Histórica do Mundo Bíblico” apresenta uma informação interessante sobre o local do sacríficio de Isaque. Ela diz que o monte Moriá onde Isaque fora levado por Abraão para ser sacrificado pode ter sido o Monte Caveira onde Jesus seria crucificado anos mais tarde ou até mesmo o monte do Templo, onde Salomão construiria o Templo também alguns anos mais tarde. Compare estes dois textos bíblicos:

 

E disse: Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi.Gênesis 22:2

E começou Salomão a edificar a casa do SENHOR em Jerusalém, no monte Moriá, onde o SENHOR aparecera a Davi seu pai, no lugar que Davi tinha preparado na eira de Ornã, o jebuseu.2 Crônicas 3:1

 

Neta Kemp de Money e o próprio texto bíblico asseveram que o que corresponde a região de Moriá apontava para uma cordilheira de montanhas e que uma dessas montanhas ficou conhecida como o Monte do Templo, onde Salomão construiu o Templo do Senhor. Não é de se estranhar que o Monte Caveira também pode ser contado como estando nessa cordilheira. Outras informações que parecem ser proféticas aparecem no texto, por exemplo, Abraão caminhou durante três dias até o monte escolhido (Gn 22.4), Isaque levou sobre os ombros a lenha do holocausto enquanto subia o monte do sacríficio (Gn 22.6), Abraão levou o fogo e cutelo em suas mãos até o local do sacrífico (Gn 22.6), foi nessa subida que Abraão disse que Deus proveria para si um cordeiro para o holocausto (v. 8), e apesar de Abraão saber que estava prestes a sacrificar o próprio filho, ele falou de forma profética que retornariam juntos (v. 5) compare com Hebreus 11.18. Todas essas “coincidências” nos dizem alguma coisa? Sim, que não são coincidências.

Depois Isaque teve dois filhos, Esaú e Jacó e Deus escolheu Jacó. Jacó teve os doze patriarcas da nação de Israel e Deus excluiu 11 patriarcas e escolheu Judá. Dentre todos os descendentes de Judá em todas as numerosas gerações de pessoas, Deus escolheu Jessé. Dentre todos os filhos de Jessé, Deus escolheu Davi. Dentre todos os filhos de Davi, Deus escolheu Salomão. Bem, você pode ler as genealogias em Mateus e Lucas para se inteirar melhor de todas as nuances e detalhes (por exemplo, na genealogia do patriarca Judá, a linhagem messiânica seria por meio de Tamar; que passa por Salmon com Raabe, Boaz com Rute até chegar a Jessé, depois Davi “insere” Bate-Seba na linhagem messiânica para que o Messias fosse por intermédio de Salomão).Bem, já dá para saber que para alguém se passar pelo Messias, ele terá que apresentar as credenciais messiânicas. Por exemplo, há uma profecia que afirma que o Messias deveria nascer em Belém.

 

E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre os milhares de Judá, de ti me sairá o que governará em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade. Miquéias 5:2

 

No dia que Jesus nasceu em Belém, cumprindo essa profecia, de cada 200.000 crianças que nasciam no mundo, apenas uma criança nascia em Belém, segundo os especialistas. Outras profecias avolumam dificuldades a esse afunilamento. Peter Stoner no livro The Science Speaks menciona que para uma pessoa cumprir apenas 8 profecias que se cumpriram na primeira vinda de Jesus (lembre-se que Jesus cumpriu mais de 300) seria uma (01) chance em 100 quadrilhões. Eu não tenho noção do significadodesse número. Talvez um matemático tenha noção. Mas Peter Stoner exemplifica o que significa esse numero. Ele diz que se pegarmos moedas de 1 real (aqui estou contextualizando e guardando as devidas proporções) e cobrirmos todo o chão do estado de Minas Gerais com nossas moedas de 1 real a uma altura de 60 cm, então deveríamos pintar uma moeda de vermelho, jogar no meio das moedas, misturar tudo, vendar os olhos de uma pessoa e mandar ela andar por cima das moedas em todo o estado e onde essa pessoa parar, se abaixar e pegar uma moeda, ela teria que ser a moeda vermelha. Veja por exemplo uma dessas profecias, a profecia da crucificação de Jesus como consta no Salmo 22 onde diz: “traspassaram-me as mãos e os pés” (v. 16). Especialistas em escatologia bíblica afirmam que esta profecia foi proferida 1.000 anos antes do homem inventar a morte por crucificação. As profecias são demais.

Outras coisas poderiam ser ditas ainda, mas já temos um quadro geral profético das credenciais messiânicas do Filho de Deus. As promessas estão de pé e o relógio escatológico está se cumprindo e não vai adiantar ao homem querer anular ou invalidar a Palavra de Deus, pois esta é infalível e eterna. Jesus já demonstrou o amor do Pai e morreu numa cruz de vergonha para que pudéssemos viver com ele para sempre! Não fomos deixados à mercê nem a deriva, temos um guia que é o Espírito Santo e Sua palavra. Não se deixe esmorecer pelas perseguições do mundo, pois,

Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente. Isaías 40:8.

Assim como temos a certeza de que as coisas que foram anteriormente anunciadas já se cumpriram, temos a firme convicção de que as que foram anunciadas e ainda não se cumpriram, se cumprirão, pois Deus é fiel.

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário